Healthtech realizou webinar focado no tema e compartilhou pontos de atenção acerca do bem-estar psicológico nas instituições

Segundo dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o número de casos de suicídio no Brasil em 2020 foi de 12.895. A tendência para o país é alta, visto que em 2012 havia cerca de 6 mil casos. Ainda dentro do tema saúde mental, segundo pesquisa da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, no 1º semestre de 2020 os casos de ansiedade haviam crescido 80% e os de depressão 50%.

Pensando no bem estar psicológico de colaboradores e times, a Cuidas, healthtech que usa a Atenção Primária para cuidar da saúde física, mental e social nas empresas, realizou um webinar sobre Setembro Amarelo e como as empresas podem criar uma cultura e rede de apoio voltada para o autocuidado e o bem-estar de cada pessoa.

Rafael Appugliese, Chief Growth Officer (CGO) da Cuidas, e as integrantes do time de saúde da startup Mariana Evangelista, psicóloga, e Jessica Ferreira, enfermeira da família, falaram sobre como, devido à pandemia, a procura por auxílio psicológico aumentou dentro das organizações e quais ações o RH pode tomar para aprimorar, cada vez mais, esse cuidado.

Durante o webinar, chamado “Setembro Amarelo: como a sua empresa pode impactar a saúde mental dos colaboradores?”, foi discutida também a necessidade das instituições acompanharem e previnirem casos de suicídio. “É necessário que a gente fale e derrube os tabus que envolvem o tema. Precisamos desmistificar também o acompanhamento dos profissionais da área”, explicou Rafael Appugliese.

Após um ano e meio de pandemia, e com os atendimentos remotos se tornando parte da rotina da healthtech, a startup tem investido no atendimento psicológico para compor o atendimento aos colaboradores das empresas.

Segundo Mariana Evangelista, é fundamental enxergar as questões de saúde a partir das três dimensões: a biológica, a psicológica e a social. E também ver como elas funcionam de maneira articulada. “Olhar apenas uma dessas facetas é diminuir a complexidade humana. Por isso, é importante levar esse conhecimento para dentro das organizações para obter sucesso no cuidado com as pessoas", explica a psicóloga.  

De acordo com pesquisa do Instituto Ipsos, encomendada pelo Fórum Econômico Mundial, divulgada em abril deste ano, 53% dos brasileiros declararam que seu bem-estar mental piorou um pouco ou muito no último ano. Em contrapartida, o investimento em cuidados com a saúde mental e a oferta de serviços que possam auxiliar os colaboradores também apresentou crescimento no último ano. A própria Cuidas registrou um aumento no número de clientes no período, muitos deles interessados em integrar o cuidado com o psicológico entre seus funcionários.

“Nós, da Cuidas, realizamos rodas de conversas dentro das empresas e elas têm um impacto muito grande para conscientizar o tema de autocuidado que, pela correria da rotina, as pessoas não percebem como é importante. Esses encontros geram reflexões no ambiente coletivo e fazem com que os times pensem em suas vidas individuais”, contou Jéssica Ferreira.

Rafael Appugliese completou: “Debates virtuais como este que promovemos são fundamentais para ampliarmos cada vez mais o alcance deste tema tão importante. Estamos felizes com o resultado e em termos contribuído com o Setembro Amarelo de alguma forma”.