Empresa estabelece estratégia para zerar as emissões de gases até 2040

A Dassault Systèmes anuncia que a iniciativa Science Based Targets (SBTi - Objetivos baseados na Ciência) aprovou suas metas de redução de emissões de gases de efeito estufa, já em linha com os protocolos defendidos pelo Acordo de Paris e as orientações de melhores práticas do SBTi. A empresa também se compromete a zerar a emissão de gases em toda sua operação até 2040, em medidas para ajudar a impulsionar a sustentabilidade em escala global e em alta velocidade por meio da utilização de Soluções de Gêmeo Digital (Virtual Twin Experiences).

As metas aprovadas cobrem as emissões das próprias operações da Dassault Systèmes - escopos 1 e 2 -, que focam nas reduções para limitar o aquecimento em no máximo 1,5 graus Celsius, a meta mais ambiciosa do Acordo de Paris. As metas de emissões de viagens de negócios e deslocamento de funcionários e de sua cadeia de valor - escopo 3 - estão alinhadas às orientações das melhores práticas do SBTi.

Para compensar as emissões restantes e cumprir seus compromissos de sustentabilidade até 2040, a Dassault Systèmes fará parcerias com empresas industriais no desenvolvimento de soluções tecnológicas inovadoras em sua plataforma 3DEXPERIENCE, que removem permanentemente o dióxido de carbono da atmosfera.

“A Dassault Systèmes é uma empresa baseada na ciência e nosso objetivo é harmonizar produto, natureza e vida. Por meio da a plataforma 3DEXPERIENCE e Soluções de Gêmeo Digital (Virtual Twin Experiences) nossos clientes estão atualizando sua pegada ambiental e de fatura ecológica para reinventar uma economia mais sustentável, e estamos implementando nossa própria estratégia de roteiro prático para atingir nossas metas de emissões aprovadas e nosso compromisso de zero emissões líquidas”, diz Bernard Charlès, Vice-Presidente e CEO da Dassault Systèmes. “Ao fornecer as soluções segmentadas e as melhores práticas que apóiam os negócios em sua transição em direção à sustentabilidade, podemos harmonizar ainda mais  produto, natureza e vida, e fazer uma contribuição significativa para cumprir as metas do Acordo de Paris na próxima década”.