Por meio de delivery e retirada de Sacolas Surpresa com até 70% de desconto, a foodtech recupera alimentos que seriam descartados e promove consumo consciente

O Brasil passa por um paradoxo acentuado pela pandemia de Covid-19, e enquanto milhares de pessoas passam fome diariamente, cerca de 41 mil toneladas de alimentos em perfeitas condições deixam de ser aproveitadas todos os dias. Os dados são do Programa Mundial de Alimentos (WFP), da Organização das Nações Unidas (ONU), e deixam ainda mais evidente um problema que poderia ser evitado: boa parte desses produtos acabam no lixo. É engajada nessa luta que nasce a startup Food To Save, que já evitou que mais de 10 toneladas de alimentos fossem descartados na Capital Paulista e Grande ABC nos últimos cinco meses.

A startup trabalha com um modelo simples e sustentável: os excedentes de produção e/ou produtos próximos à data de validade de estabelecimentos parceiros que estão em perfeitas condições de serem consumidos, são comercializados e ganham uma nova oportunidade de compra com até 70% de desconto pelo consumidor final. Além disso, os pontos de venda também ganham a possibilidade de conquistar outro tipo de cliente, que normalmente não consumiria os produtos com o preço cheio.

“Nós queremos revolucionar o desperdício de alimentos no País e, ainda, fazer com que mais pessoas tenham acesso a bons alimentos, e se a gente pode fazer isso de forma mais sustentável e ajudando o meio ambiente, por que não?”, indaga o CEO e cofundador da startup, Lucas Infante.

A venda desses produtos é feita por meio de “sacolas surpresa”, que podem ser adquiridas via delivery ou retiradas diretamente nos estabelecimentos escolhidos. São mais de 100  estabelecimentos cadastrados na Capital Paulista e Grande ABC, entre  restaurantes, padarias, hortifrutis, sacolões, docerias, e muitos outros. “Nossa meta é chegar a 600 estabelecimentos até o fim do ano, e contribuir ainda mais no combate  ao desperdício de alimentos, expandindo para todos os bairros da grande São Paulo. “Muito em breve estaremos nas principais cidades do país”, revela o CEO da Food To Save.

Ainda segundo Infante, o diferencial da plataforma é também buscar estar presente em todos os lugares, desde bairros nobres até regiões mais periféricas. “Nós sabemos que a maioria dos aplicativos que oferecem esse tipo de serviço mais sustentável não estão disponíveis para todas as localizações, o que é justamente o contrário do nosso foco”, completa Infante.

Passo a passo: como funciona a Food To Save

Os pedidos podem ser feitos direto no site da foodtech, ou pelo aplicativo, disponível para Android e IOS. Basta inserir o CEP da residência em que deseja receber os produtos ou retirá-los, e visualizar os estabelecimentos mais próximos que possuem sacolas disponíveis no dia. De acordo com o que estiver disponível, a plataforma mostra o valor que deverá ser pago e o tipo de produto que irá na sacola surpresa, podendo o cliente escolher entre doce, salgada e mista.