A Venture Builder propicia inclusão em todo ecossistema empreendedor e ajuda a colocar os negócios em pé por meio dos pilares da execução

O vocação para o empreendedorismo nunca esteve tão em alta no Brasil. Segundo dados do Global Entrepreneurship Monitor (GEM), até o final de 2020, o país deve atingir o maior patamar de empreendedores iniciais dos últimos 20 anos, com aproximadamente 25% da população adulta envolvida na abertura de um novo negócio ou com um negócio com até 3 anos e meio em atividade. Ao enxergar as oportunidades desse mercado, Roberto Pina, executivo de larga experiência no mundo de meios de pagamentos (fundador de Cielo, Alelo e outras empresa do Grupo Elopar) se juntou a Ivan Marques e Rochane Soubhie para criar a Sevensete - venture builder que auxilia empreendedores a construírem, executarem e transformarem suas ideias.

A empresa nasceu com o propósito de mudar o ecossistema empreendedor, auxiliando pessoas que tenham ideias ou projetos com potencial a gerar negócios que atendam às necessidades reais do mercado. Esse auxílio passa pela construção de todos os pilares necessários para consolidação de uma empresa em qualquer mercado e ao longo destes 3 anos, essa forma de atuação levou a Sevensete a perceber que ela havia desenvolvido uma metodologia de trabalho própria e diferente do que o mercado de Venture Builders  vinha fazendo. “Nós acreditamos que o empreendedorismo é inclusivo, por isso, criamos uma metodologia capaz de ajudar negócios em diferentes estágios e que vai além dos pilares da inovação”, afirma Pina, CEO da empresa.

O “método S7” , criado pela Sevensete, incorpora todas as fases do desenvolvimento de um negócio e auxilia desde a ideação, passando pelo planejamento estratégico, financeiro, até a governança e apoio na jornada das rodadas de investimento.

“Nós somos uma espécie de laboratório de dados e soluções. Recebemos um problema, criamos um time, incubamos o projeto e entregamos a solução em forma de serviço, produto e, muitas vezes, até criamos o negócio do zero. Acreditamos que empreendedores capacitados podem transformar a sociedade e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Por isso, nosso modelo foi pensado para ir direto à dor nos negócios”, explica Ivan Marques, CIO da Sevensete.

Em três anos de atuação, a Sevensete auxiliou mais de 20 negócios e investiu aproximadamente R$2 milhões entre funding e smart money. ”Nós temos um braço de investimento, mas queremos ir além disso. Nosso diferencial está na participação ativa dos negócios, pois acreditamos que qualquer ideia, insights, startups e projetos podem se transformar em empresas sólidas, perenes e lucrativas”, comenta Pina

Além disso, a empresa entende que parte do sucesso que vem atingindo se dá também pela forma com que recepciona empreendedores - o acolhimento tem feito a diferença nas negociações e no andamento dos projetos. “Assim, de certa forma, a Sevensete acredita que tem conseguido desmistificar um pouco o mundo das start ups, mostrando que empreendedores bem preparados podem sim ocupar um lugar de destaque no mundo das startups”, comenta Rochane Soubhie.

Ela também destaca que a venture builder tem compromisso irrestrito em aliar todo esse trabalho com os propósitos que vem norteando a ação da empresa, alinhados principalmente aos ODS - Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU. Esse alinhamento, por exemplo, é uma das etapas que a Sevensete inclui no planejamento estratégico que desenvolvem para suas startups.