Por Luiz Carli, Diretor Geral da OKI Data no Brasil

Você já parou para pensar na diferença entre mudar e transformar? Embora sejam conceitos aparentemente semelhantes, a verdade é que, quando olhamos de perto, essas ideias são bem diferentes. Enquanto a mudança refere-se a uma alteração que é feita a partir de um ponto previamente conhecido e pode ser revertida, a transformação diz respeito a algo bem mais profundo, complexo e impossível de ser retroagido.

Explicar esses conceitos é importante, no caso, pois a indústria de impressão está passando pelas duas ações de forma simultânea. Em primeiro lugar, nunca se mudou e inovou tanto para imprimir mais e melhor. Paralelo a isso, e diante da inegável digitalização do mundo, as impressoras e multifuncionais também estão caminhando para adotar novas posições e utilidades à rotina corporativa (e pessoal).

É essa a grande vantagem, portanto, de se escolher uma impressora inteligente. Estamos falando de dispositivos que, entre outras coisas, estão permitindo novas formas de controle e gestão de documentos, com recursos que vão muito além da automação do processo de impressão. Hoje, com os avanços da área, temos cada vez mais opções para agilizar o trabalho de qualquer segmento – seja ele um ambiente extremamente regulado, como o de um hospital, ou uma área totalmente diversa, como na produção de uma indústria que precisa fazer rótulos sob demanda para personalizar seus produtos.

Essa é uma grande notícia. Afinal de contas, por mais que avancemos na transformação digital, é fato que nossa vida continuará exigindo que as empresas e pessoas coloquem no papel (físico) suas ideias.

Por exemplo: apesar da franca evolução do mundo digital, vale destacar que a customização de peças é cada vez mais vista como um potencial fator de diferenciação e sucesso dos negócios - o que inclui a personalização de cartas e kits. Uma pesquisa conduzida pela empresa francesa Dassault Systèmes aponta que os consumidores estão mais exigentes quando o assunto é adaptação das ofertas. O estudo indica que 83% dos consumidores desejam que os produtos e serviços se adaptem as suas necessidades o mais rápido possível.

Ter uma impressora inteligente e moderna permite, portanto, elevar o potencial de receita das companhias, garantindo formas mais rápidas e precisas de imprimir materiais exclusivos. Além de poder criar negócios mais rentáveis, no entanto, os equipamentos de nova geração também estão sendo vitais para ajudar a reduzir custos e gastos, protegendo o bolso das organizações e diminuindo qualquer tipo de impacto ao meio ambiente.

Isso porque as novas impressoras gastam menos energia, gerenciam melhor o consumo dos substratos e, principalmente, permitem a melhor administração dos arquivos, com controle de número de páginas impressas, gestão de acesso, verificação de segurança e muito mais. Ou seja, é possível reduzir e centralizar as operações, sem perder eficiência ou assertividade no que precisa ser realmente impresso.

Parece contraditório dizer que um avanço da indústria de impressão é, justamente, oferecer mais inteligência para que as operações possam imprimir menos, mas é exatamente isso. Como dito no começo deste texto, uma transformação é algo que não pode ser contida ou desfeita. Nesse contexto, só nos resta entender isso e oferecer o máximo de soluções para que consigamos atender este novo consumidor, que é muito mais criterioso em relação ao que vai imprimir ou não.

É nosso dever, também, pensar no planeta e buscar mais formas de criar um ambiente sustentável, que seja positivo para todos. Uma impressora inteligente pode, por exemplo, ajudar a encontrar configurações que reduzam o consumo de toner , alertar possíveis melhorias do sistema, ajustar o controle das pastas etc.

Além disso, as novas impressoras certamente são preparadas para ser uma confiável ferramenta para proteger dados sigilosos, bem como manter a privacidade das pessoas. São ganhos como esse, afinal, que podem manter um negócio competitivo nestes novos tempos, sempre em constante mudança e transformação.

Apesar da volatilidade e incerteza, a grande definição do mercado de impressão sempre foi caminhar junto com os clientes em busca de soluções mais econômicas, versáteis e eficientes. Isso não mudará, seja qual for a transformação. Resta saber como seguirá essa história, mas certamente teremos novas formas de usar as impressoras em nossas atividades profissionais.